O implante dentário é utilizado com frequência nos consultórios, possibilitando a reposição do dente perdido. Mesmo necessitando de uma cirurgia prévia, eles apresentam a possibilidade de devolver uma ótima mastigação ao paciente.

Infelizmente, ainda existem diversas dúvidas sobre este tratamento. Questionamentos sobre a cirurgia, sobre a prótese, sobre a dor na instalação dos implantes dentais são comuns. Portanto, esse texto é para você que precisa realizar esse tratamento, mas tem medo e insegurança. Além disso, se ficar com alguma dúvida é só deixar seu comentário no final do texto.

Leia esse guia completo sobre tudo sobre os implantes dentários :

  • Qual a real importância dos dentes?
  • O que são implantes?
  • Quais são os tipos de tratamentos com implantes?
  • Posso perder um implante ?
  • Instalar implantes dói ?

Qual a real importância dos dentes? 

 

Já se perguntou sobre o porquê de termos dentes com tamanhos, formas e quantidade de raízes diferentes? Ou ainda, como cada dente encaixa perfeitamente quando fechamos a boca?

Cada dente na boca é diferente do outro, pois cada um tem uma função específica a desempenhar. A presença do dente é tão importante que, antes de condenarmos algum dente para extração, tentamos ao máximo manter ele no lugar, através de colocação de coroas e a realização de tratamento endodôntico.

Portanto, o implante dentário é a última opção, quando realmente não se tem mais salvação para o elemento afetado.

Vamos comparar com um time de futebol, temos o goleiro e os defensores, que têm a função de não permitir que a bola entre no gol, temos o meio de campo que faz a ligação com o ataque e por último temos o centro-avante que tem a responsabilidade de fazer o gol.

A mesma coisa acontece com os dentes! Temos os incisivos que partem os alimentos de forma inicial, temos os caninos e pré molares que são a transição com os demais dentes, e os molares que têm a função de triturar os alimentos em partículas menores facilitando a deglutição.

É claro que essa explicação é bem simplista e que ainda temos diversos outros parâmetros que cada dente desempenha. O importante é saber que cada dente é único e suas funções são importantíssimas para o correto funcionamento da mastigação. Se quiser saber mais sobre a função de cada dente, clique aqui.

As três formas mais comuns de se perder um dente

implante dental

Cada vez é maior a conscientização das pessoas quanto a higiene oral. Nos consultórios dentários, percebemos como nossos pacientes têm menor quantidade de cárie e também de perda de dente.

Porém, a utopia de nunca perder um dente não existe. Como visto no texto sobre cárie dental, ela é responsável por muitas perdas dentárias e isso ocorre principalmente pela falta de higiene, por uma escovação inadequada e também pelo o não uso do fio dental.

A segunda forma na perda dentária é através da doença periodontal, ou seja, a inflamação das gengivas de forma mais agressiva. Que também começa pela falta de cuidado na limpeza bucal.

A terceira e menos comum é o trauma dental.

Mesmo você seguindo todos os cuidados em sua higiene pode perder um dente! Digo isso pois vejo no consultório de forma rotineira pessoas jovens com dentes em ótimo estado e que, devido a uma fatalidade, como um acidente de carro ou até uma queda, sofreram a perda de um dente.

Geralmente os dentes afetados são os dentes superiores anteriores (incisivos centrais e laterais), pois os traumas acontecem normalmente na parte frontal da face. Felizmente, em grande parte dos casos, conseguimos restabelecer a função e estética com implantes dentais.



Então, quais são as formas de substituir o dente?

Já entendemos a importância e como se perde um dente. Agora, vamos às soluções, nesse caso temos três principais:

1) Usar um trabalho removível;

2) A famosa Ponte fixa;

3) Implante dentário.

Os dois principais tratamentos para substituir um dente já foram discutidos em nosso site e o texto pode ser encontrado aqui.

Resumidamente, a prótese removível tem como desvantagem não ser fixa, ou seja, temos que retirar e colocar durante o dia para realizar sua higienização. Podemos ter a “insegurança” ao falar e ao se alimentar devido a sua instabilidade.

A prótese fixa, possibilita uma maior segurança já que temos uma estabilidade superior a removível. Porém, para substituir o dente ausente, temos que realizar um desgaste nos dentes adjacentes, que vão servir de apoio. Assim, dependendo do caso, teremos que “sacrificar” um dente íntegro para apoiar a ponte fixa.

A terceira opção e melhor na maioria dos casos é o implante dentário.

Mas o que é um implante dentário?

implante dentário

Primeiramente, ele é um “parafuso” feito de uma liga de titânio que é biocompativel com o tecido ósseo, portanto não temos rejeição.

Em segundo lugar, muita gente confunde o implante com a coroa dentária, pensando que ambas são a mesma coisa, mas na verdade são processos e fases diferentes do tratamento.

O implante dentário tem o objetivo de substituir a raiz do dente perdido, ou seja, ele vai ser a base ou suporte para a confecção do dente (coroa). Nesse caso, a coroa dental vai ser acoplada em cima desse implante.

Então por que todo mundo comenta que o implante dentário é superior a outros tratamentos?

A resposta é simples! Primeiro porque o trabalho é fixo e segundo porque não precisamos desgastar nenhum dente para instalar o implante e a coroa do dente.

Maneiras de melhorar sua mastigação com o implante dentário

Ninguém quer perder um dente, mas como visto acima, isso ainda ocorre. Portanto, eu te faço duas perguntas simples :

  • Você já se imaginou usando uma prótese removível ?
  • Já imaginou uma pessoa deixando de usar uma prótese total removível e passando a usar um trabalho fixo sobre implantes ?

São nessas duas situações que os implantes vão atuar. Existem algumas formas em que podemos realizar esse tratamento, desde a substituição de apenas um dente até a troca de todos eles.

Dessa forma, podemos ter os seguintes tipos de tratamento com implantes dentais:

1) Implante dentário unitário

Esse caso é o mais comum em nosso consultório, a pessoa perdeu um dente e precisa substituí-lo.

Na instalação de qualquer implante, iremos solicitar o pedido de uma tomografia, para análise do osso remanescente. Em alguns casos, um pedido de exame de sangue também é necessário.

No implante unitário, podemos realizar um implante imediato, com a extração do dente perdido e a colocação do parafuso imediatamente (na mesma cirurgia), o que diminui o tempo do tratamento.

Também podemos realizar a carga imediata (continue lendo mais abaixo) e colocar um dente provisório junto com a colocação do implante.

2 ) Implante Dentário múltiplo

Em implantes dentários múltiplos ao invés de substituir um elemento dentário realizamos uma ponte sobre implantes.

Nesse tratamento o paciente perdeu mais de um dente. Em determinados casos não podemos ter um implante para cada dente, assim realizamos menos implantes que dentes a serem substituídos, portanto um elemento dentário ficaria suspenso .

3 ) Prótese protocolo ou prótese total fixa sobre implantes

Antigamente, quando ocorria a perda de todos os dentes, a única solução era o uso da prótese total (dentadura). Atualmente, podemos substituir essa dentadura removível por um trabalho fixo sobre implantes, a chamada prótese protocolo.

A grande vantagem é de termos mais estabilidade e segurança ao falar e mastigar. Assim, planejamos os implantes (em média de 5 a 8) e sobre eles colocamos uma prótese fixa. O importante é saber que não é um implante por dente.

Vídeo sobre implante dentário

E a carga imediata? Posso fazer?

A Carga imediata com implantes dentários nada mais é do que a colocação da coroa provisória (dente) imediatamente após a cirurgia. Porém, nem todos podem ter esse tipo de tratamento.

Essa condição varia muito da região do implante colocada: região anterior superior (mais estética e menos força mastigatória) e regiões posteriores (menos estética e mais força ).

O grande limitador é o torque do implante, ou seja, qual a força que o implante foi ancorado ou travado no osso. Se essa força foi muito baixa, não podemos colocar um provisório sobre o implante pois o risco de perder esse implante é muito alto. Assim, temos que esperar a osseointegração do implante que é em torno de 3 a 6 meses.

Para ler mais sobre a carga imediata é só clicar nesse link !

Problemas e desvantagens 

Talvez a maior “desvantagem” para a realização do implante dental seja passar por uma cirurgia. Isso, aliado ao medo de dentista, gera um grande desconforto ao cliente o que pode fazer com que ele não queira realizar o tratamento, mesmo com todas as vantagens apresentadas.

Outro grande problema é quando temos pouco ou nenhum osso presente na maxila ou mandíbula. Nessas condições o implante dentário não pode ser instalado já que é preciso uma quantidade mínima de osso para sua ancoragem. Assim, em determinados casos, teremos que realizar um enxerto ósseo prévio ou junto com a colocação do implante.

Posso perder um implante dental ?

Por último, o famoso problema que todos perguntam, “Dr. mas o implante de dente tem rejeição?”

A resposta é simples, não !

O implante é biocompativel com o organismo, portanto não há a rejeição. Podemos perder o implante, mas  isso acontece principalmente por alguma infecção da região, pela falta de  ancoragem óssea ou por uma carga (força) muito grande no implante. Nesses casos, temos que analisar qual foi o problema para planejar um novo implante.

Qual o valor para instalar o implante dentário ?

A pergunta mais realizada em nosso site, mas infelizmente eu preciso responder, não sei. Como todo tratamento dentário existem diversas variáveis que somente irão ser respondidas com a análise clínica e radiográfica.

Na formulação de um preço no tratamento com implantes, precisamos :

  • Analisar a quantidade de osso remanescente.
  • A quantidade e tipo do implante a ser instalado.
  • Se iremos realizar um implante unitário, múltiplo ou uma prótese protocolo.
  • Se é preciso realizar uma extração prévia com preservação óssea.

Enfim, existem inúmeras variáveis para a obtenção de um correto plano de tratamento, por isso a análise clínica e radiográfica é importante.

Abs,

Davi Frossard