Hoje quero mostrar como a perda de um elemento dentário gera uma série de problemas, não só estéticos mas como mastigatórios, e também as principais soluções para acabar com esse problema.

Podemos perder dentes de diferentes maneiras, através de traumas e acidentes e de maneira mais comum pela doença periodontal ou cárie. Nas duas últimas opções, um correto cuidado com a higiene dental e consultas de revisão podem impedir a perda de um dente.

Como mostrado nas ilustrações , quando perdemos um dente, ficamos com um espaço vazio em nossa arcada, deixando os dentes vizinhos sem ponto de apoio.

perda de dentes e suas consequecias.

Sem este contato, os dentes proximais (vizinhos ao dente perdido) se aproximam e o dente antagonista (no caso o dente superior),  tende a descer, gerando um desarranjo que culminará em uma má oclusão, problemas mastigatórios e até dor na articulação.

Para restaurar a correta mastigação , temos algumas opções que vão desde a prótese removível até o uso de próteses fixas ou implantes.

Antigamente, para preencher este espaço, a prótese fixa era o tratamento mais apropriado. Para isto, prepara-se os dentes vizinhos ao espaço (“gasta” para receber a forma apropriada) e, após os devidos procedimentos, cimenta-se 3 coroas unidas sobre 2 dentes, como exemplificado na figura.

Uma solução atual e diferente é a instalação de implante. Por meio de cirurgia, um parafuso de titânio, pré-selecionado para o caso, é instalado no paciente e, após as etapas necessárias, recebe a coroa. Dessa forma não há necessidade de preparo nos dentes vizinhos ao espaço.

A tabela abaixo demonstra algumas diferenças entre estes os procedimentos, no caso de perda de 1 (um) dente:

Perda de dentes

 

Diante do que foi mostrado, vale ressaltar que anamnese e exame clínico corretos são necessários para definir a melhor forma de tratamento. No nosso planejamento, as expectativas e dúvidas do paciente são averiguadas para que ele possa escolher, junto ao dentista, como seu caso será solucionado.

Att,

Davi Frossard