Periodontia - MD Frossard Odontologia

Periodontia

Captura de tela 2013-07-28 às 14.13.30

Área da odontologia que estuda e trata as estruturas que suportam os dentes. Nela estão inclusos, os tecidos gengivais,ligamento periodontal, cemento e osso alveolar. A patologia mais comum nessa área é a gengivite (inflamação da gengiva), que acontece geralmente devido à má higiene que acumula placa bacteriana e assim agride a gengiva podendo gerar sangramento durante a escovação, retração gengival e mau hálito no paciente. A progressão dessa doença é a periodontite, onde ocorre perda de osso e do suporte dentário, podendo causar perda deste elemento. Assim, nessa área a prevenção é essencial. Para prevenir essas doenças, é necessário uma boa escovação, uso do fio dental e um controle periódico do dentista. Na periodontia podemos ainda realizar pequenas cirurgias muco-periósteas (na gengiva), visando a estética do paciente (plástica gengival).

 

Halitose

A – O que é?

A halitose ou mau hálito é uma condição anormal do hálito com cheiro desagradável. A halitose não é uma doença, mas pode denunciar a ocorrência de alguma alteração ou problema de saúde.

 

B – Causas

Estudos recentes afirmam que 90 a 95 % dos casos de halitose possuem origem bucal (Quirynen et al. J Clin Periodontol, 2009, Tangerman A & Winkel E G, J. Breath Res, 2010)

Como causas de origem extra-bucal, consideramos as causas nas vias aéreas superiores e as de origem metabólica ou sistêmica, vindas de dentro do organismo. Como sistêmica ou metabólica, temos o jejum prolongado, a ingestão de alimentos odoríferos (capazes de alterar o hálito), o diabetes não compensado, a hipoglicemia e as alterações hepáticas, renais e intestinais como causas principais.

Vale salientar que problemas relacionados ao estômago muito raramente interferem na condição do hálito alterado, o que por muito tempo, e até os dias de hoje, se constitui numa crença com pouca ou nenhuma evidência científica.

Uma das causas mais comuns é a diminuição da produção de saliva, ocasionada principalmente por remédios que a pessoa possa estar tomando e que diminuam a salivação, outras causa são, stress excessivo, certas doenças, etc..

Essa diminuição da quantidade de saliva favorece a formação de uma placa bacteriana (camada esbranquiçada) na parte posterior da língua, chamada de saburra lingual e no interior das amígdalas, em forma de uma pequena bolinha amarelada, chamadas cáseos amigdalianos. Elas são formadas por restos proteicos alimentares e salivares, células que se descamam da mucosa bucal e bactérias. Estas bactérias se alimentam das proteínas presentes nestas células e restos proteicos e nesse processo ocorre a liberação de enxofre, em forma de compostos sulfurados voláteis (CSVs), que são os gases que causam um hálito alterado e desagradável.

As doenças da gengiva bem como várias outras causas de alteração do hálito de origem bucal (dentes semi-inclusos, excessos de tecido gengival, feridas cirúrgicas, cáries abertas e extensas, próteses mal adaptadas, abscessos, estomatites, miíase, cistos dentígeros e câncer bucal) podem ser facilmente identificadas e tratadas (ou encaminhadas para tratamento) por um Cirurgião Dentista experiente.

 

C – Recomendações

– Beba bastante água, pelo menos dois litros por dia, para manter a boca sempre umedecida;

– Realize pequenas refeições a cada 03 horas, pois jejum prolongado pode comprometer seu hálito;

– Realize adequada higiene bucal (incluindo limpeza da língua) evitando o uso de soluções para bochecho com álcool.

– Visite o dentista, isso vai prevenir problemas gengivais e principalmente o acúmulo de tártaro, que é prejudicial ao hálito.

– Capriche na higiene bucal. Quando escovar os dentes, use também o fio dental e passe a escova com delicadeza especialmente na região posterior da língua.

– Certifique-se de que os níveis de glicemia estão dentro da normalidade e que o funcionamento do estômago, rins e intestinos não apresentam nenhuma alteração; Utilize, de vez em quando, goma de mascar ou balas sem açúcar, que ajudam a aumentar a salivação.

– Realize exames de saúde geral (check-up) anualmente, pratique atividades físicas para reduzir o estresse.

Google+